» Notícia » Fisioterapeutas contribuem para saúde funcional e qualidade de vida das gestantes e puérperas

A especialidade Fisioterapia em Saúde da Mulher é regulamentada pelo COFFITO desde 2009, devido à importância e evidência científica da atuação do fisioterapeuta nessa área. Por essa razão, aproveitando a comemoração do Dia da Gestante, celebrado no dia 15 de agosto, o Conselho Federal buscou auxílio da Associação Brasileira de Fisioterapia em Saúde da Mulher (ABRAFISM) para explicar um pouco sobre a atuação do profissional durante a gravidez e o puerpério.

De acordo com a ABRAFISM, durante a gestação, para acomodar o bebê, o corpo da mulher sofre inúmeras alterações anatômicas, fisiológicas e biomecânicas. Essas adaptações englobam diversos sistemas, entre eles a pelve e as mamas e, geralmente, provocam desconfortos e dores que podem comprometer a qualidade e a funcionalidade do  organismo da mulher.

Sintomas comuns durante a gestação:

Síndrome do túnel do carpo, edema nos membros inferiores, dispneia, dorsalgia, lombalgia e sintomas de deficiência do assoalho pélvico, como a incontinência urinária e anal, entre outros. Os músculos do assoalho pélvico ficam suscetíveis às adaptações hormonais e biomecânicas, tendo sua função afetada, especialmente pela sobrecarga do peso abdominal e do bebê.

Como o fisioterapeuta atua:

O fisioterapeuta que atua na área da saúde da mulher possui grande expertise para promover o bem-estar global da gestante fornecendo informações e condutas específicas mediante avaliação para prevenir e amenizar os diversos sintomas decorrentes das adaptações do organismo materno que ocorrem neste período. Elabora estratégias de tratamento direcionadas a cada caso que inclui adaptação ergonômica nas atividades de trabalho e domésticas para minimizar tais desconfortos, além do alívio da dor; atua ativamente junto à mulher no preparo global para o parto, e no treinamento dos músculos do assoalho pélvico (TMAP).

A ação do fisioterapeuta por meio de um programa de TMAP bem conduzido pode prevenir e tratar a incontinência urinária e anal. O preparo para o parto feito pelo fisioterapeuta pode potencializar ainda mais os efeitos benéficos de sua atuação na hora do trabalho de parto.

Fisioterapia na gestação promove o bem-estar da grávida e ainda a prevenção de complicações relacionadas ao sedentarismo. O fisioterapeuta avalia, prescreve e supervisiona programas de exercício físico seguro e terapêutico para a mulher grávida. São inúmeros benefícios para que a mulher tenha uma gestação saudável contribuindo para uma experiência positiva de parto e aquisição de conhecimentos e hábitos que serão úteis pelo resto da vida. Toda gestante merece ter acesso aos cuidados da Fisioterapia em obstetrícia.

Em tramitação no Congresso

A Comissão de Assuntos Parlamentares (CAP) do COFFITO, obteve parecer favorável à inserção dos fisioterapeutas na PEC nº 8/2019, que determina como deve ser composta a equipe multiprofissional para atenção integral durante o período do pré-natal, parto e pós-parto. A senadora Rose de Freitas (PODE/ES), relatora na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ), acatou emenda apresentada pelo senador Rodrigo Pacheco (DEM/MG), que insere o fisioterapeuta entre os profissionais da equipe de atendimento das gestantes. O relatório aguarda deliberação pelo Senado.

  • seta ir para o topo